BNDES: Liberação para PMEs sobe 3% em 2017 somando R$55,1 bilhões

Os desembolsos do BNDES mantiveram trajetória crescente na participação de micro, pequenas e médias empresas, que, com R$ 23,6 bilhões, representaram 42,9% dos desembolsos entre janeiro e outubro de 2017. A soma de todos os desembolsos este ano é de R$ 55,1 bilhões.



O segmento de energia elétrica também apresenta expansão, com 43% de crescimento nos desembolsos, com R$ 10,1 bilhões este ano, e aprovações que somam R$ 12,1 bilhões, crescimento de 182% de janeiro a outubro de 2017.


A agropecuária representou 21,3% dos desembolsos do BNDES até outubro de 2017, crescimento de 9% nos dez meses deste ano, se comparado com o mesmo período de 2016, e alcançou R$ 11,7 bilhões. Considerados os últimos doze meses, esse crescimento é 14%, com R$ 14,8 bilhões desembolsados no período compreendido entre novembro de 2016 e outubro de 2017.


Finame



A linha Finame, voltada para o financiamento de máquinas e equipamentos, apontou desembolsos da ordem de R$ 16 bilhões, de janeiro a outubro deste ano, número 11% maior que no mesmo período de 2016. Nos últimos doze meses, já foram desembolsados R$ 19,2 bilhões. A Finame pode ser vista como importante termômetro da atividade econômica e projeta crescimento, uma vez que as aprovações, última etapa antes da contratação e desembolso, alcançaram R$ 18,2 bilhões, de janeiro a outubro de 2017, expansão de 25% na comparação com o mesmo período de 2016.


Capital de Giro


A linha de financiamento BNDES Giro alcançou a marca de R$ 5,5 bilhões em 2017, alta de 252% em relação ao mesmo período do ano passado. No acumulado em 12 meses, a linha criada para suprir a carência de capital de giro das empresas desembolsou R$ 6,6 bilhões, volume 211% maior que nos 12 meses entre novembro de 2016 e outubro de 2017.



Regional


O Nordeste aparece com destaque na distribuição regional dos recursos liberados pelo BNDES em 2017, com crescimento de 19% em desembolsos que alcançaram R$ 10,1 bilhões. Em aprovações para o Nordeste, o BNDES registrou crescimento de 117%, entre janeiro e outubro, com R$ 10,2 bilhões. A queda nos desembolsos foi menor no Norte (-9%) e Centro-Oeste (-12%) e mais relevante no Sudeste (-33%) e Sul (-21%). Entretanto, a região Sul apresentou crescimento de 3% em aprovações registradas este ano, com R$ 14,8 bilhões.


Dados agregados



As consultas são a primeira fase de análise do crédito e, entre janeiro e outubro de 2017, alcançaram o valor de R$ 81,5 bilhões, o que representa 14% menos que nos primeiros dez meses de 2016. Apesar de apresentarem queda em relação ao mesmo período do ano anterior, observa-se que as curvas das demais fases da operação permanecem na mesma trajetória observada nos meses anteriores.



Os enquadramentos de operações do BNDES — que são a fase de acolhimento dos pedidos de financiamento — alcançaram o valor de R$ 73,4 bilhões, entre janeiro e outubro de 2017, ficando 11% menor que o mesmo período de 2016. Nos últimos 12 meses, os enquadramentos somaram R$ 89,8 bilhões, valor 17% menor que o registrado entre novembro de 2016 e outubro de 2017.

 


O BNDES registrou R$ 54 bilhões em aprovações e R$ 55 bilhões em desembolsos, entre janeiro e outubro de 2017, recuo de 13% e 20%, respectivamente, quando comparados com mesmo período do ano anterior. Nos últimos 12 meses, as aprovações registraram R$ 71,1 bilhões (-21%) e os desembolsos, R$ 74,4 bilhões (-25%).

 

Fonte: Setor Energético