Tarifa de energia no Rio pode aumentar além do reajuste autorizado pela Aneel

As distribuidora de eletricidade Light e Enel Rio, responsáveis pelo fornecimento de energia no Rio de Janeiro, foram autorizadas a aumentar suas tarifas a partir de amanhã (15/3), pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

 

Na Light os aumentos terão uma elevação média de 10,36 por cento. As contas da distribuidora, controlada pela mineira Cemig, terão alta média de 13,40 por cento para clientes de alta tensão, como indústrias, e 9,09 por cento para os de baixa tensão, principalmente residências. Já a distribuidora de eletricidade Enel Rio, do grupo italiano Enel, aumentará em média de 21 por cento.

 

Pela revisão de tarifa realizada pela Aneel, as contas da Enel Rio subirão em média 19,9 por cento para clientes de alta tensão, como indústrias, e 21,5 por cento para de baixa tensão, como residências.

 

O diretor de Regulação da Enel, José Alves de Mello Franco, destacou que existem pontos em abertos na revisão tarifária da empresa que serão concluídos em 2019 para que o equilíbrio econômico-financeiro da concessão seja equacionado.

 

Segundo José Alves, dos R$ 2,8 bilhões em investimentos feitos pela distribuidora de 2015 a 2017, R$ 800 milhões foram na melhoria da qualidade. A empresa atende 3,1 milhões de clientes em 66 municípios do Estado do Rio de Janeiro, como Niterói, Cabo Frio e outros. Além dos aumentos autorizados pela Aneel, a conta de luz pode ficar ainda mais cara para os moradores da cidade do Rio de Janeiro.

 

Os vereadores do município do Rio votam hoje (14/3) como ficará a cobrança da taxa de Iluminação Pública. O prefeito Marcelo Crivella vetou parte do projeto aprovado na Câmara ano passado. Esse veto diminui consideravelmente a faixa de isentos da taxa.

 

Se o veto do prefeito não for derrubado, só estará isento quem consumir menos de 100 Kw por mês. Antes do veto, a isenção seria ampliada para quem consome até 800 Kw por mês.

 

Fonte: Ambiente Energia