Curitiba inicia programa de eficiência energética com PCH no Parque Barigui

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, recebeu a doação de um sistema de geração de energia hidrelétrica a ser instalado no Parque Barigui.
A turbina, também chamada de Rosca de Archimedes, a estrutura e a construção da pequena usina foram
doados pela Associação Brasileira de Pequenas Centrais Hidrelétricas (ABRAPCH)
“É o início de um programa de eficiência energética para Curitiba", disse o prefeito, acompanhado da primeira dama, Margarita Sansone.
“E ele começa com essa doação da central geradora de energia elétrica para
iluminar os caminhos com as águas do Rio Barigui sem danificar o meio ambiente", continuou.
O sistema, parte do programa Curitiba Mais Energia, vai aproveitar a vazão do vertedouro do lago da unidade de conservação e será capaz de gerar cerca de 21.600 Kwh/mês, o que equivale à metade da energia consumida no parque e ao consumo de 135 residências médias.
A produção será injetada na rede da Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel), gerando créditos de energia a serem compensados ao município. A economia na fatura de energia elétrica da Prefeitura pode chegar a R$ 132 mil por ano.
As obras de implantação começam ainda neste ano sem prejuízo às atividades do parque e têm previsão de entrega para março de 2019.

Inteligente e sustentável
O prefeito também falou sobre os painéis solares do Palácio 29 de Março, que serão viabilizados por meio de uma chamada pública da Copel. Trata-se de uma das primeiras Redes Elétricas Inteligentes (Smart Grids) a serem instaladas na cidade.

As Smart Grids utilizam a geração distribuída e a possibilidade de monitoramento em tempo real da produção.
De acordo com a secretária do Meio Ambiente, Marilza Dias, também faz parte da doação um sistema e um aplicativo em que será possível acompanhar a capacidade e a geração de energia da turbina e dos painéis solares instalados.
“Onde puder, farei energia limpa”, destacou Greca. “Cada passo na direção do uso de energias alternativas é um avanço para um novo mundo e o caminho contrário das usinas termoelétricas”, completou. Além de poluidoras, lembrou o prefeito, elas são contra a economia popular.
Marilza contou ainda que, por aproveitar recursos naturais, o sistema neutraliza a emissão de gases poluentes. “São toneladas de CO2 que deixam de ser liberados na atmosfera por se tratar de geração limpa através de uma fonte renovável”, avaliou.
Para o presidente da diretoria executiva da ABRAPCH, Paulo Arbex, a parceria com Curitiba é uma excelente oportunidade para provar que a geração hidrelétrica traz benefícios ambientais. “Trata-se da energia mais renovável de todas, sem agredir o meio ambiente”, explicou.

Espaço Nicolau Klüppel
A Pequena Central Hidrelétrica do Parque Barigui e o centro de educação ambiental anexo terão o nome do engenheiro Nicolau Klüppel, que dedicou anos da sua carreira ao Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e faleceu em outubro de 2016, aos 86 anos.
Formado em 1955 pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), trabalhou de 1960 a 1965 na Prefeitura de Curitiba e participou da implantação do Plano Diretor da cidade. Foi também assessor técnico para assuntos de água e saneamento dos prefeitos Jaime Lerner e Saul Raiz.
Klüppel foi um dos precursores da solução do uso de lagos para captação de água para evitar enchentes, o que proporcionou a criação de alguns dos principais parques da cidade, como o Barigui e o São Lourenço. Além disso, participou da concepção do programa Lixo Que Não é Lixo.

Fonte: Ambiente Energia - 14/11/2018